quinta-feira, 19 de dezembro de 2013

Abraço - Vinicius de Moraes

Com um agradecimento especial à minha tia Lucia, que fez a gentileza de me apresentar a essa preciosidade, que tão bem traduziu a minha alma.

De repente deu vontade de um abraço... Uma vontade de entrelaço, de proximidade, de amizade... sei lá... Talvez um aconchego que enfatize a vida e amenize as dores... Que fale sobre os amores, que seja teimoso e, ao mesmo tempo, forte. Deu vontade de poder rever, saudade de um abraço. Um abraço que eternize o tempo e preencha todo espaço mas que faça lembrar do carinho, que surge devagarzinho da magia da união dos corpos, das auras... sei lá... Lembrar do calor das mãos, acariciando as costas, a dizer: "estou aqui." Lembrar do trançar dos braços envolventes e seguros afirmando: "estou com você"... Lembrar da transfusão de forças com a suavidade do momento... sei lá...abraço...abraço...abraço... abraço... abraço...abraço... abraço..abraço...abraço... O que importa é a magia deste abraço! A fusão de energia que harmoniza, integra tudo, e que se traduz no cosmo, no tempo e no espaço. Só sei que agora deu vontade desse abraço que afaste toda e qualquer angústia. Que desperte a lágrima da alegria, e acalme o coração Que traduza a amizade, o amor e a emoção... E, para um abraço assim, só pude pensar em você...nessa sua energia, nessa sua sensibilidade, que sabe entender o porquê... dessa vontade desse abraço...

Vinicius de Moraes


quinta-feira, 21 de novembro de 2013

Passado

Quanto mais velha eu fico, melhor fica minha memória.

Os anos já não têm mais o mesmo poder para apagar minhas lembranças.


Eu me vi novamente aquela menina, acuada,


E me  lembrei claramente das outras vezes que fiquei assim.


Hoje percebo que não apagar os rastros foi melhor.


Os erros criam pontos de referência no passado, como alfinetes marcando um mapa,


E esses locais marcados, eu nunca mais quero visitar.


O tempo vai passar, eu vou me lembrar de hoje, como se fosse hoje,


E isso vai me dar forças para não recuar.




Julia Ferreira

sexta-feira, 18 de outubro de 2013

Você sonha comigo?




Do You Dream Of Me?

Dreams, within the still of night
On wings of hope take flight inside of me
There, upon some distant shore
We want for nothing more
Than what will be

And you and I, here we are
I wonder as we've come this far

If I could only read your mind
Tell me the answer I would find
Do you dream of me?
And when you're smiling in your sleep
Beyond the promises we keep
Do you dream of me?

Love has found a magic space
A deep and hidden place
Where time stands still
Now, I hold you in my arms
You know you hold my heart
And always will

And you and I, here we are
And it's a wonder that we've come this far

And after all that we've been through
You've leaned on me, I've leaned on you
Do you dream of me?
And when you're smiling in your sleep
Beyond the promises we keep
Do you dream of me?

If I could only read your mind
Tell me the answer I would find
Do you dream of me?
And when you're smiling in your sleep
Beyond the promises we keep
Do you dream of me?
And after all that we've been through
You've leaned on me, I've leaned on you
Do you dream of me?
Do you dream of... me?

Você Sonha Comigo?

Sonhos dentro da tranqüilidade da noite
Nas asas da esperança voam dentro de mim
Lá em alguma terra distante
Queremos nada mais do que
O que seremos

E você e eu, aqui estamos
Eu me admiro como nós chegamos tão longe

Se eu pudesse apenas ler seu pensamento
Diga me a resposta que eu descobrirei
Você sonha comigo?
E quando você está sorrindo em seu sono
Além das promessas que guardamos
Você sonha comigo?

O amor encontrou um lugar maravilhoso
Um lugar oculto e secreto
Onde o tempo pára
Agora eu te seguro em meus braços
Você conhece meu coração
E sempre ira guardá-lo

E você e eu, aqui estamos
É um milagre chegarmos a esta distância

E depois de tudo que temos sido
Você se apoiou em mim, e eu em você
Você sonha comigo?
E quando você está sorrindo em seu sono
Além das promessas que guardamos
Você sonha comigo?

Se eu pudesse apenas ler seu pensamento
Diga me a resposta que eu descobrirei
Você sonha comigo?
E quando você está sorrindo em seu sono
Além das promessas que guardamos
Você sonha comigo?
E depois de tudo que temos sido
Você se apoiou em mim, e eu em você
Você sonha comigo?
Você sonha... comigo?

quarta-feira, 25 de setembro de 2013

Saudades

Saudades
Saudades do tempo que não vivemos, do tempo que não tivemos,
Saudades de escolher o amor, de recolher-me em teu abraço.
Saudades de encontrar-me comigo, dentro de ti.

sábado, 21 de setembro de 2013

Nós - J.G. de Araújo Jorge

O poema de hoje é indicação da minha amiga, Neusa Trindade.
Lindo demais, não sai de mim!
Deliciem-se:


Nós

Afinal o que sinto
é o sofrimento atroz
de muito tarde descobrir que nunca falaremos
em nós...

Eu, serei eu, tu, serás tu,
e eternamente assim
nem nunca me terás como queres que eu seja
nem serás como eu quero que sejas pra mim...

Muito tarde... muito tarde...
- depois que assim te quero, e preciso de ti
como os pulmões precisam de ar
ou os olhos de luz,
é que vou descobrir que se ficarmos juntos,
eu poderia te odiar, tu poderias me odiar!
- Quem diria, ao final, ao que o amor se reduz?!

Estraguei a tua vida e desgraçaste a minha
e fomos acordar, os dois, tarde demais...
Agora, eu sigo só,
tu, seguirás sozinha,
eu, fugindo; covarde!... a este amor que me espinha!
tu, querendo, - medrosa!... inutilmente a paz!

E o que é estranho afinal, é que nos amamos,
e sentimos no entanto que nos separamos,
cada um com a sua sombra dolorosa
a sós...
- conformados, na dor cruel, nos convencemos,
de que nunca na vida, eu e tu... seremos
nós...

JG de Araujo Jorge extraído do livro Eterno Motivo - Prêmio Raul de Leoni, da Academia Carioca de Letras, 1943


sábado, 31 de agosto de 2013

Adormecer

A solidão invade meu quarto,

A saudade habita meu coração.

Minha alma viaja pelos sentimentos,

Conduzida pelos pensamentos,

Que não se livram das lembranças.

E a falta que tu me fazes

Faz em minha vida ficar

Este gosto de desejo

Que passeia por meus lábios.

E agora, enquanto tu dormes,

Eu, sendo tua, choro,

Porque sei que dormes só,

Querendo-me junto a ti.

Calada, vivo estranhamente,

Porque sem ti

Metade de mim adormece,

E a outra metade sonha.

quinta-feira, 29 de agosto de 2013

Insônia

Não sei o que há em mim,
Que distância que nos afasta me traz um nó, 
Uma tristeza sem fim.

Não sei o que há em mim,
Que nem o Sol, nem a Lua
Me tiram esse medo de viver sem ti.

Não sei o que há em mim,
Que sinto nas gotas de chuva
Uma vontade estranha
De chorar a dor de partir.

Não sei o que há em mim,
Que vejo nas estrelas
O brilho dos teus olhos,
E o motivo para não dormir.

quarta-feira, 28 de agosto de 2013

Sussurros

Mesmo que eu não fale, mesmo que eu não escreva, os sussurros da minha alma alcançarão seu coração, e não serão necessárias palavras, nem gestos, nem olhares, pois nossos sonhos já falam o mesmo idioma, e caminham na mesma direção.

quinta-feira, 15 de agosto de 2013

Alimentar-se do amor

Que virtude há em amar,
Se não é possível, louvável,
Autorizado viver de amor?
Que sabor há em amar,
Senão caminhar de mãos dadas?
Que valor há em amar,
Sem dormir em teus braços,
Sonhar contigo?
Ah, a dor desse desgosto,
Dessa infâmia, dessa perda,
A dor desse tempo, dessa eternidade.
A dor da realidade.
Esse amor paralelo,
Quente e tão frio, doce e tão amargo,
Eterno e tão finito, colorido e tão cinza.
Que felicidade há num pingo de oceano,
Senão banhar-se completamente?
Que resta a um amor assim,
Senão mais mil anos?
Que resta a quem sofre,
Senão a espera, a solidão, a dor?
Que resta a quem ama,
Senão amar e amar?
Alimentar o amor,
Alimentar-se do amor...


sexta-feira, 2 de agosto de 2013

Alma de Poeta

Querido amigo,


Você me pediu um presente especial, que não se pudesse comprar, uma coisa exclusiva, e não há maneira melhor de homenagear meu parceiro de blog, meu grande amigo, que não seja criando um poema para você; então, aí vai:

                Não há sombra, vento ou tempestade,
                Não há treva, névoa ou destino.
                Não há tempo, passado ou futuro,
                Não há pedras, quedas ou abismo.

                Não há sequer um momento,
                Não há dor, tormento.

                Não há gente, crença, insanidade,
                Não há diferença, não há maldade.
                Não há no mundo um amigo
                Que mereça mais lealdade.

                Julia Ferreira


Com exclusividade para Ranulfo Junior.
Parabéns!!!!!! Desejo a você toda saúde, alegria, paz, sucesso e algumas dores, para que nunca pare de escrever... rsrsrs



quinta-feira, 1 de agosto de 2013

Sempre Amor

Se houver vida após a morte,
eu desejo ter a sorte,
de te amar de novo,
Se houver outra vida,
outras mil, ou até mais,
que eu não tenha paz,
até te amar de novo.
E se não houver nada além de escuridão e o silêncio velado,
Saiba que ainda assim serei feliz, por nesta vida ter estado a seu lado.

Ranulfo Junior




quinta-feira, 4 de julho de 2013

Bate papo

Olá, minha gente!

         Mais uma vez o blog muda de cara, dessa vez para uma aparência dinâmica, mais moderna, e com diversas opções de visualização (clicando na opção Sidebar, no canto esquerdo da tela inicial).
         Vocês devem ter notado, também, que ando publicando vários textos do Júnior, que tem me ajudado muito a criar, pois, além de ser sempre um grande amigo, está se mostrando também um excelente parceiro na produção de textos. Gostamos de comparar os estilos (que nenhum dos dois tem estilo nenhum, na verdade! rsrsrs), um dá palpite na produção do outro, sugestões, que às vezes são aceitas, e às vezes não. Nunca tive a oportunidade de discutir meus textos, o motivo de cada palavra, dos símbolos inseridos no formato, nos sons, e isso tem sido muito gratificante.
         Com isso, posso dizer que estou, cada vez mais, voltando a pensar em algum dia publicar essa coisa toda, pra ver no que dá. Pode ser pretensão da minha parte achar que alguém vai se interessar a ponto de comprar um livro meu, mas se não arriscar, nunca saberei.
         Eu descobri que a minha produção é totalmente ligada à dor. À minha dor, à sua dor, às dores do mundo. Dores que senti, que poderia ter sentido, ou que faço questão de não sentir. Dores de personagens que gostaria de viver. Talvez essa seja até uma veia cênica, teatral, que ainda preciso explorar. De fato, como diz Fernando Pessoa,

O poeta é um fingidor.
Finge tão completamente
Que chega a fingir que é dor
A dor que deveras sente.

E os que lêm o que escreve,
Na dor lida sentem bem.
Não as duas que ele teve,
Mas só a que eles não têm.

E assim nas calhas de roda
Gira, a entreter a razão,
Esse comboio de corda
Que se chama coração.

         Esse poema é, sem dúvida, o retrato perfeito da minha alma poetiza.
         Espero que gostem do novo visual do blog, e, mesmo se não gostarem, por favor, comentem, critiquem, as opiniões são sempre bem vindas.


         Beijocas
         Julia

sábado, 29 de junho de 2013

Dor

E a dor virou verso,
virou do avesso,
sem contexto, sem pretexto.
A dor minha, que dormia,
A dor sua, surda e muda,
Dor de poeta, discreta, concreta.

Ranulfo Junior

terça-feira, 25 de junho de 2013

Mais um dele

"Queria sumir... De Coração
Só eu, uma garrafa e um violão;
Queria gritar... pedir socorro
Só com a roupa do corpo e um cachorro;
Queria voar... Pra bem longe
Lá onde a felicidade se esconde;
Queria te salvar... mas como te salvar de mim mesmo?
Por isso que quero fugir... Sair por aí... andando a esmo..."

Ranulfo Júnior

Água

Deixa água escorrer, triste, lavar o que já não existe;
Deixa água sair, calma, e lavrar a alma.
Deixa água entrar, ardente, entorpecer a mente, e
Deixa a água partir.
Talvez ela volte na próxima chuva,
Ou finalmente morra no mar.


Ranulfo Júnior, amigo de verdade!

sexta-feira, 21 de junho de 2013

Voltas

De tempos em tempos é assim.
Volto àquele estado, àquela dor, àquela sensação de não ter feito tudo que poderia, de não ter falado tudo que gostaria...
Volto àquela estranha visão onde o passado e o futuro se misturam, onde o presente perde o brilho.
Volto aos mesmos passos já pisados, baixo a guarda, perco o sono.
Mexo as peças, troco as peças... sempre no velho tabuleiro. Riscado, marcado, saturado.
Os dias ficam quentes e úmidos, abafados, sufocantes, o tempo não passa. O amor não passa.
Dias de planos, euforia, encanto.
Dias de frustração, medo, solidão.
Então as lágrimas lavam o olhar, a dor me vira pelo avesso,
E em carne viva volto a caminhar. Até voltar.

sexta-feira, 19 de abril de 2013

Catarina

Sonhei com você, seus olhos, minha cor, seu sorriso, meu nariz.
Sonhei com você, brincando, correndo, rindo... escandalosa do seu jeito.
Sonhei com você, filha da lua, crescendo sob o sol, mas você não veio...
Quando vier será perfeito.

Ranulfo Júnior


segunda-feira, 15 de abril de 2013

Palavras

Existi e resisti, por isso desisti; 
Amei e errei e assim penei;
Aprendi, apreendi,então aboli;
Falhei, falei e ali te deixei;
e as palavras brotaram;
e a semente me disse;
que eu existisse, resistisse e insistisse;
Então esbocei, escrevi e rasguei.


Ranulfo Júnior


(Escrevendo freneticamente!!! rsrs)




sexta-feira, 5 de abril de 2013

Nearer My God to Thee

Bom dia, pessoal...

Olhem que coisa maravilhosa, que achado!

Esse hino é um dos meus preferidos, e a história dele fantástica e emocionante. Durante muitos anos, somente os homens escreviam hinos, mas, pouco a pouco, as mulheres também começaram a usar o seu talento poético e, hoje, temos muitos hinos escritos por mulheres consagradas a Deus e ao Seu trabalho. Mas, um dos mais conhecidos em todo o mundo foi o hino escrito por Sarah Flower Adams (1805-1848). Foi no ano de 1841 que esta senhora, que estudava muito a Bíblia, ficou tão impressionada com a história relatada no livro de Gênesis (capítulo 28) sobre a visão de Jacó, em Betel, e a escada que alcançava o céu, e os anjos que subiam e desciam por ela, que, inspirada naquela passagem bíblica, resolveu escrever este hino que mais tarde se tornou universalmente conhecido.Dizem que, quando os visitantes cristãos visitam a Palestina, em chegando a este lugar, Betel (hoje Bira, um território da Jordânia), param e cantam este hino, evocando os acontecimentos impressionantes experimentados por Jacó. As palavras deste hino tem sido um grande auxilio e um grande conforto para muitos crentes em tempos de dificuldades.É impossível esquecermos o terrível desastre com o grande transatlântico "TITANIC" nos primeiros anos deste século. Era a sua viagem inaugural; grandes personagens viajavam nele; viajava, também, um grupo de peregrinos, crentes da Europa que demandavam a nova terra (EUA). Mais de mil vidas se perderam naquela ocasião.E contam que, quando o grande navio estava soçobrando, tinha-se a impressão de que ia haver um pânico geral; porém, a orquestra de bordo começou a tocar o hino "Mais Perto Quero Estar, Meu Deus de Ti" e, imediatamente, foi presenciado um espetáculo comovedor: os crentes e outros tripulantes, dando as mãos uns aos outros, começaram a cantar também o hino à medida que o navio ia afundando-se!

 O vídeo fala por si, mas a letra está logo abaixo.
 

Mais perto quero estar, meu Deus, de Ti
(Hino 283 CC)
Música: Lowell Mason
Letra Original: Sarah Flower Adams

Mais perto quero estar, meu Deus, de ti,
Inda que seja a dor que me una a ti!
Sempre hei de suplicar:
Mais perto quero estar,
Meu Deus, de ti!
Andando triste aqui, na solidão,
Paz e descanso a mim teus braços dão.
Sempre hei de suplicar:
Mais perto quero estar,
Meu Deus, de ti!
Minha alma cantará a ti, Senhor,
Cheia de gratidão por teu amor.
Sempre hei de suplicar:
Mais perto quero estar,
Meu Deus, de ti!
 E quando a morte, enfim, me vier chamar,
Com serafins nos céus irei morar.
Então me alegrarei,
Perto de ti, meu Rei,
Meu Deus, de ti!


Bom final de semana!!!
Beijos
Julia

terça-feira, 2 de abril de 2013

Quatro Elementos

Era de barro,
Como todo humano,
Palavras feitas de vento,
Como tudo que imaginamos,
Os olhos vertiam água,
Como acontece a todo insano,
Então fogo a endureceu,
E se esqueceu de todo dano.

Ranulfo Junior

terça-feira, 29 de janeiro de 2013

Mudança

Oi, genti! Tudo bom?


Contagem regressiva pra mudança de local de trabalho... A partir do dia 05/02 estarei em outro local, mas dentro da Unicamp, mesmo.

Super expectativa, muito feliz, mas é claro, tem que ter aquele friozinho na barriga, né? rsrs

Com certeza vou sentir imensa falta da convivência diária com as pessoas que tenho hoje, mas é pelo meu crescimento profissional, pessoal, e também por qualidade de vida.

É sempre bom lembrar, que Deus nos reserva o melhor, e eu confio completamente nisso.



Torçam por mim!

segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

Crer contra a esperança

Já pensou na diferença entre esperança e fé?

A esperança se baseia em fatos, em sinais, é o sentimento de quem vê como possível probabilidade que seus sonhos se concretizem num futuro que está por vir.

Fé é agora. Fé é certeza. Fé é a expectativa da espera por algo que certamente acontecerá, só não se sabe quando.

Quando existe esperança, a fé lhe é complementar. Os sinais mostram que os sonhos são possíveis, que tudo dará certo, a esperança ferve no coração, e a fé já traz as palavras de vitória aos lábios.
Mas e quando as circunstâncias frustram a esperança? Quando os fatos provam que os sonhos não podem se tornar reais, a esperança se esvazia, pois está baseada neles.

Diferentemente, a fé é a certeza do que se espera, é a certeza, mesmo que as circunstâncias pareçam dizer que não, é a convicção, independente de palavras, fatos, passado, exemplos. É a absoluta confiança de que a esperança não é vã.

Depositar a esperança em Deus, em Suas promessas, crer que sem Ele não somos nada, e ter fé que Ele as cumprirá, é o cenário ideal. Se compreendermos esse mecanismo, nada nos abalará!


"Abraão, o qual é pai de todos nós, (como está escrito: Por pai de muitas nações te constituí) perante aquele no qual creu, a saber, Deus, o qual vivifica os mortos, e chama as coisas que não são como se já fossem.
O qual, em esperança, creu contra a esperança, tanto que ele tornou-se pai de muitas nações, conforme o que lhe fora dito: Assim será a tua descendência.
E não enfraquecendo na fé, não atentou para o seu próprio corpo já amortecido, pois era já de quase cem anos, nem tampouco para o amortecimento do ventre de Sara.
E não duvidou da promessa de Deus por incredulidade, mas foi fortificado na fé, dando glória a Deus,
E estando certíssimo de que o que Ele tinha prometido também era poderoso para o fazer. "
Romanos 4:16-21

Boa semana!






Gostou do post? Gostou do blog? Não esqueça de deixar seu comentário!

sexta-feira, 25 de janeiro de 2013

sexta-feira, 18 de janeiro de 2013

Balaio

Boa tarde, galera!!


Bom, pra quem ainda não percebeu, não tenho mais Facebook, mas não se desesperem, isso é bom... Vou poder dar mais atenção ao blog, que há muito tempo é um dos meus objetivos.

Mas não foi pra isso que vim aqui hoje.

Quero compartilhar com vocês algumas coisas:

Daqui a alguns dias estarei trocando de área no trabalho; é o mesmo emprego, mesmo salário, mesma instituição, mas uma área totalmente diferente, e tenho certeza de que essa mudança será para glória de Deus. Vou sentir muita falta da convivência diária com algumas pessoas, disso eu tenho certeza, mas é uma conquista, e não se pode desprezar, não é mesmo?

Estou de dieta, sinto as roupas mais largas (algumas até caindo), mas o ponteiro da balança não se mexe!!!! Oh, my gosh! Até quando esse martírio??? Preciso emagrecer uns 5kg antes do ortopedista me liberar pra fazer caminhadas, mas como faz? Tá puxado, viu?

E esse joelho, também, já vou avisando, já deu! Agora tem uns exercícios de fortalecimento da coxa, que tenho que segurar a perna estendida, levantada da cama, por 5 segundos, 30 vezes. As primeiras, ótimo, legal... Passou da décima, parece que tô levantando a perna de um rinoceronte!!!!! Mas de uma coisa não posso reclamar, o ortopedista é excelente, um dos melhores médicos que já conheci na minha vida. Ele me trata como ser humano, e não como um número a mais na carteira de pacientes, super indico, Dr. Paulo César Penteado.

Falando nessas coisas (?), ontem liguei pra minha vó, e ela anda tão cansada, tadinha... Não é fácil ver quem a gente ama tanto, sofrendo, né? Que Deus encha ela de muita força, e que volte para ela toda a energia que ela aplicou ajudando tanta gente durante a vida, que assim ela vai viver mais uns 200 anos!

Uma coisa é certa, Deus nos permite passar por sofrimentos para que possamos usar essa experiência no auxílio a outras pessoas, cumprindo o mandamento de amar ao próximo.

Os posts aqui, por enquanto, vão ficar limitados, porque estou sem computador em casa ainda, por conta da assistência técnica, que demorou mais de 30 dias para NÃO arrumar o micro! Até que a fábrica resolva a situação, tamos aí, na luta.


Esse final de semana vou apresentar um especial na igreja, cantando um louvor. Deus nos ajude! rsrsrsrsrs

Falando em final de semana, a sexta feira já tá indo embora!


Deixo com vocês esse vídeo delicioso, do Hillsong - Sing To The Lord, pura adoração. Quem quiser a letra e a tradução, aqui.

Beijocas,
Ju

terça-feira, 15 de janeiro de 2013

Calmaria

Quando vem a brisa fresca num dia quente, sinto em minha pele a doçura do teu toque.

Quando vem a tempestade de verão, sinto em minha alma novamente teu calor.

Quando vem a calmaria, lembro da pureza dos teus lábios.

Quando vêm os trovões lembro do teu riso solto que me contagia.

Quando você vem ao  meu encontro, tudo se desfaz, não há som, cheiro ou cor,

Eu perco o sono, e só penso na  saudade que tenho do teu sabor.


Julia Ferreira

quinta-feira, 10 de janeiro de 2013

Disfarce

Não disfarce, com você também é assim.
Seu coração dispara, suas pernas tremem, sua garganta seca.
Na ausência te corrói a saudade,
Na presença se embaralham as palavras,
Tudo que foi ensaiado foge ao pensamento.
Não disfarce, você se pergunta como seria.
Não disfarce, você me ama.
Com você também é assim.

Julia Ferreira